Vitória de Guimarães vence pela margem mínima

Vitória de Guimarães vence pela margem mínima

10 Agosto, 2017 Não Por Decio Andrade

O Vitória de Guimarães recebeu esta noite o Desportivo de Chaves, naquele que foi o jogo  inaugural de ambas as equipas na Liga NOS 2017-18. O jogo terminou com a vitória da equipa da casa por 3-2.

Vitória de Guimarães: Miguel Silva, Vigário, Pedro Henrique, Josué, João Aurélio, Zungu, Celis, Raphinha, Hurtado(Rafael Miranda, 84′), Hélder Ferreira(Xande Silva, 78′), Estupinan(Rafael Martins, 90+2′)

Desportivo de Chaves: Ricardo, Paulinho, Domingos Duarte, Nuno André Coelho, Rúben Ferreira, Jefferson, Bressan(Galvao, 66′), Pedro Tiba(Jordan, 84′), Matheus Pereira, Davidson(Elhouni, 46′), William

A primeira parte iniciou-se com o domínio do Desportivo de Chaves, sendo que nos primeiros minutos de jogo conseguiu um leque de lances de perigo à baliza de Miguel Silva. Contra a corrente do jogo, o Vitória chegou ao golo, por Zungu, após uma perda em zona proibida. A equipa flaviense após o golo sofrido ficou baralhada em campo, nota disso foi o Vitória ter ampliado a vantagem, através de Hurtado e novamente após uma perda de bola em zona proibida.

No regresso dos balneários ambas as equipas mantiveram as ideias da primeira parte. O Vitória aumentou para 3-0 a vantagem no encontro, ao minuto 57′, por Raphinha e novamente depois de uma perda de bola em zona proibida. Nos últimos 15 minutos de jogo, o Desportivo de Chaves melhorava, sendo que ao minuto 80′ chegam ao golo, através de William, numa finalização de cabeça. A dois minutos do fim do tempo regulamentar, os flavienses reduzem para 3-2 e novamente por William. O jogo entrava no seu fim mas ainda em aberto, contudo até ao fim as oportunidades não apareceram e o resultado manteve-se.

Um bom jogo no Estádio D. Afonso Henriques, com duas boas equipas, bem treinadas e bem organizadas. O Desportivo de Chaves precisa de melhorar o início da construção ofensiva, visto que foi aí que perdeu a bola três vezes e resultou nos golos que sofreram. Algumas melhorias a fazer por Luís Castro em ligar os setores tanto a defender com a atacar. O Vitória de Guimarães mantêm a estrutura da última época, em que se apresenta com um bloco baixo, quando não tem bola e que sai em transições rápidas, quando a recupera.