SL Benfica: Os números e os factos

SL Benfica: Os números e os factos

12 Janeiro, 2018 Não Por Pedro Sousa Coelho

A primeira volta do campeonato chegou ao fim. O SL Benfica está em terceiro lugar, a cinco pontos do primeiro classificado (FC Porto) e a três pontos do segundo lugar (Sporting CP). O tetracampeão nacional contabilizou 40 pontos em 51 possíveis, menos dois pontos do que em igual período da época passada.

Se olharmos por este prisma, a primeira volta não foi totalmente negativa. Na época passada, o SL Benfica terminava as primeiras 17 jornadas do campeonato com 42 pontos em primeiro lugar. Esta época tem 40, como se disse, apenas menos dois pontos. Contudo, ocupa a terceira posição. Esta alteração classificativa deve-se essencialmente à diferença pontual dos rivais diretos.

No final da primeira volta da época 2016/2017, o SL Benfica tinha mais quatro pontos que o segundo classificado (FC Porto) e mais seis que o terceiro (SC Braga). O Sporting CP, em quarto lugar, tinha menos oito pontos que o líder. Na presente temporada, o FC Porto tem mais sete pontos do que tinha (passou de 38 a 45) e o Sporting CP tem mais nove (de 34 para 43). Mais, se FC Porto e Sporting CP terminassem a primeira volta desta época com os mesmos pontos que tinham na anterior, o SL Benfica, com os 40 pontos que tem, era líder. Conclui-se assim, como se referiu, que a diferença no lugar do SL Benfica na classificação se deve principalmente à subida de rendimento dos outros dois clubes “grandes”.

Se centrarmos a análise no campeonato, excluindo as restantes competições, onde o SL Benfica já não está, o balanço até não é muito preocupante. Existem, contudo, duas razões claras para que o tetracampeão não esteja neste momento com os mesmos pontos de FC Porto e Sporting CP:

 

  1. O SL Benfica foi o único “grande” a perder um jogo neste campeonato (2×1, frente ao Boavista, num jogo em que até começou a ganhar. Se tivesse conseguido segurar os três pontos nesse jogo estaria em igualdade pontual com o Sporting CP e a apenas dois pontos do FC Porto.

 

  1. Todos os jogos entre “grandes” na primeira volta terminaram com empates, ou seja, todas as equipas perderam quatro pontos nesses jogos. A diferença aqui tem a ver com o aproveitamento que o outro “grande” (aquele que não jogou) fez do resultado dos rivais. Quando SL Benfica e FC Porto empataram a zero, o Sporting CP venceu o Belenenses. Quando SL Benfica e Sporting CP empataram a 1, o FC Porto venceu o Feirense. Quando FC Porto e Sporting CP empataram a zero, o SL Benfica empatou com o Marítimo (em mais um jogo no qual começou a vencer), ou seja, não aproveitou o deslize de ambos os rivais.

 

Tendo em conta que o campeonato é a única competição em que o SL Benfica participa neste momento, todas as fichas terão de ser usadas no sentido de se chegar ao pentacampeonato. Tal só será possível se se aproveitarem todos os eventuais deslizes dos rivais. É o SL Benfica quem precisa de reduzir distâncias e terá uma carga de jogos menor que Sporting CP e FC Porto. Desta forma, quando os rivais perderem pontos, exige-se que o SL Benfica reduza as distâncias pontuais. E isso só se conseguirá se o tetracampeão for vencendo todos os jogos.

Adicionalmente, importa terminar de vez com o erro de dar uma vitória como garantida. Até terminar o jogo, o resultado está em aberto, pelo que o SL Benfica nunca se deverá refugiar numa vitória magra. Este erro já se pagou caro e não pode voltar a ser repetido.

No próximo fim de semana, o SL Benfica vai jogar a Braga, contra uma equipa que apenas tem menos três pontos que o tetracampeão. A vitória antecipa-se difícil. Mas tem de ser conseguida. Só assim se garantirá que estamos no caminho certo para terminar a época como queremos. No final é que se fazem as contas, até lá, luta-se em campo. Esperamos, pois, que nas 17 finais que faltam, o SL Benfica lute até  esgotar as forças rumo ao pentacampeonato.