Estás aqui!
Home > Futebol Internacional > Premier League: Jogo grande no palco dos sonhos e uma tarde sofrida mas memorável para Wenger

Premier League: Jogo grande no palco dos sonhos e uma tarde sofrida mas memorável para Wenger

Começou este sábado a 10ª jornada da Premier League, num dia em que nenhum dos grandes teve descanso, com execeção do Liverpool que venceu de forma tranquila.

A jornada foi aberta com um Manchester United vs Tottenham, seguiram-se jogos entre o Arsenal e o Swansea, entre o Watford e o Stoke City e o West Brom com o Manchester City.

Manchester United FC 1-0 Tottenham Hotspur FC (Anthony Martial 81´):

Um clássico em Inglaterra e um clássico à José Mourinho. Mais um jogo grande, onde a equipa do Manchester United entra forte e concentrada, muito coesa defensivamente e à procura constantemente do erro adversário. Uma primeira parte amena, sem chances de golo e sem muita emoção apesar do elevado ritmo de jogo. Na segunda parte, mais do mesmo. Entrada forte do United que aos 54 minutos esteve perto do golo, após erro de Hugo Lloris. Valeu o lateral Ben Davies para evitar o primeiro. Aos 60 minutos, o equatoriano Valencia voltou a ameaçar o francês com um míssil disparado sobre o alvo pretendido.

Por volta dos 70 minutos Mauro Pochettino anulou os ‘Red Devils’. Foi nesta altura que José Mourinho venceu a partida. O argentino preparou a sua equipa para um modelo de jogo, que mudou drasticamente com a entrada de Lingard e Anthony Martial, dois homens rapidíssimos e frescos fisicamente. Os ‘Spurs’ tiveram apenas uma chance de golo. Aos 76 minutos, Dele Alli recebe um presente de Eriksen e não consegue fazer o golo.

Nesta altura, o United voltou a assumir o controlo do jogo e criou várias situações de perigo, sempre por Romelu Lukaku que viria mesmo a fazer a diferença. Aos 77 minutos, de cabeça ao ferro e aos 78 minutos o momento do jogo. Pontapé de baliza para De Gea, bola na cabeça do belga e Martial em velocidade (muita velocidade) aproveita a distração da defensiva londrina e faz o único golo da partida! De pé esquerdo, o francês não desperdiçou e provou mais uma vez toda a sua qualidade.

O tal erro que o técnico português procurava acabou por acontecer e por valer os 3 pontos, assim como aconteceu no Estádio da Luz há uns dias atrás.

Arsenal FC 2-1 Swansea City AFC (Clucas 22´, Kolasinac 51´ e Ramsey 58´):

Uma tarde que o “mal-amado” Arsène Wenger nunca irá esquecer ao alcançar o seu jogo número 800 na Premier League.

Este jogo que começou complicado e mais complicado se tornou aos 22 minutos, altura em que Clucas avança pelo corredor esquerdo e consegue bater com classe o guardião Petr Cech. Após o golo, o Arsenal não acordou e perto do intervalo foi o checo que solucionou o problema que Mertesacker criou. Um jogo sem muita emoção, sem muito perigo e que só mudou após o intervalo.

Bastaram 6 minutos de segunda-parte e o “tanque” Kolasinac consegue atacar a bola proveniente de uma série de ressaltos e ao seu estilo, disparou com muita força para o fundo das redes do Swansea. Estava feito o empate. E apenas 7 minutos depois, o bósnio assiste Aaron Ramsey que de pé esquerdo fixou o resultado final. 2-1 para os ‘gunners’ numa tarde complicadíssima.

Liverpool FC 3-0 Huddersfield Town AFC (Sturridge 50´, Firmino 58´ e Wijnaldum 75´):

Em Anfield, uma tarde implacável para os comandados de Jurgen Klopp que nos segundos 45 minutos fecharam a partida.

Uma equipa claramente fragilizada defensivamente, mas muito sólida no ataque e este foi um jogo em que a defesa pouco teve que fazer. O Liverpool assumiu a partida e de forma natural pôs-se em vantagem. Porém, o golo só foi marcado na segunda parte, apesar do penalty falhado por Salah aos 40 minutos.

Aos 50 minutos, Sturridge antecipa o erro do defesa do Huddersfield e abriu a contagem. Mais tarde, Firmino na sequência de um canto com um cabeceamento forte fez o 2-0, mas o melhor estava guardado para o final. Aos 75 minutos, o holandês Wijnaldum fez o golo do jogo. Pontapé forte ao canto superior esquerdo da baliza a fazer um belo golo e a fechar o resultado.

 

West Bromwich Albion FC 2-3 Manchester City FC (Sané 10´, Jay Rodriguez 13´, Fernandinho 15´, Sterling 64´ e Matt Phillips 92´):

A fechar este artigo, o jogo do Manchester City que venceu de forma merecida mas suada, em mais um passo da sua caminhada até agora, implacável.

O jogo foi muito animado e logo aos 10 minutos, o alemão Sané recebe a bola de Fernandinho e após uma finta curta, coloca a bola no buraco da agulha. Pontapé cruzado e muito forte a abrir o marcador. Ainda se gritava golo e já o empate fora restabelecido. Um passe em rutura brilhante a encontrar Jay Rodriguez e o ex-Southampton a picar por cima de Ederson que já estava fora dos postes para o 1-1.

De forma também rápida surgiu o golo de Fernandinho. 2 minutos apenas até Leroy Sané inverter o papel do primeiro golo e ser ele a assistir Fernandinho que com um remate rasteiro e pouco forte mas muito bem colocado, levou a bola a beijar o poste direito e entrar devagar devagarinho na baliza do West Bromwich.

Após o intervalo, o City continuou o seu bom futebol e de forma natural aos 64 minutos de jogo Kyle Walker descobre Raheem Sterling para o terceiro e último dos ‘citiziens’. Já a fechar a partida, Otamendi “enterra” e Matt Phillips reduz a desvantagem, mas numa altura em que já nada podia ser feito.

O jogo acabaria mesmo por chegar ao fim sem grande perigo adicional para qualquer uma das balizas.

Deixe uma resposta

Top