Napoli, dove vai? Milan, dove sei?

Napoli, dove vai? Milan, dove sei?

3 Novembro, 2017 Não Por Gonçalo Ferreira da Silva

Ambos clubes de referência no calcio, Nápoles e Milan encontram-se em momentos profundamente diferentes. Por um lado, no campeonato, o Nápoles apenas cedeu pontos (soma 31) aquando do empate caseiro diante do Inter, ocupando o primeiro posto da tabela classificativa. Por outro lado, o Milan tem desiludido em larga escala, ocupando uma inaceitável oitava posição, com pouco mais de metade dos pontos dos napolitanos. Com efeito, o último fim de semana trouxe-nos novos desenvolvimentos no que se refere às temporadas destas equipas, assim como os jogos de meio da semana, relativos às competições europeias.

Começando pelo Nápoles, é óbvio que, mesmo podendo falhar o objetivo Champions, fruto de duas derrotas (que não foram totalmente surpreendentes) diante do Manchester City e de uma outra (esta sim, algo surpreendente) diante do Shakhtar Donetsk, os orientados de Maurizio Sarri se encontram numa posição muito confortável a nível interno – quiçá, é a vez em que estão melhor posicionados para a conquista do campeonato, nas últimas décadas. De facto, na terceira época de Sarri ao comando dos Partenopei, evidencia-se uma grande solidez e cimentação dos princípios de jogo trabalhados, o que leva a percentagens de sucesso cada vez maiores. Efetivamente, o Nápoles é, atualmente, uma das melhores equipas da Europa, proporcionando a todos uma qualidade exibicional que é um autêntico regalo para a vista. Em suma, o conjunto apadrinhado pelo San Paolo é, cada vez mais, uma equipa madura e imune ao erro. Assim, não será escândalo nenhum se o domínio juventino for interrompido por Sarri & Co.. Aliás, se não for este Nápoles a parar a Juventus, não sei quem o conseguirá… A jogar belissimamente, dove va parar?

Na face oposta, encontra-se o Milan. Diz-se que é um clube em reconstrução. No entanto, a verdade é que, desde que se encontra em reconstrução, já foram gastas centenas e centenas de milhões de euros no reforço do plantel. Após tantos anos e tantos plantéis construídos, não será curto o que os Rossoneri têm vindo a mostrar? É certo que até ganharam fora ao Rijeka por 6-0, em partida relativa à Liga Europa. Porém, nos encontros ‘a doer’, denotam-se já dois ‘chumbos’, frente a Inter (2-3) e Juventus (0-2). Para além disso, como salienta a posição na tabela classificativa, o campeonato realizado até ao momento não tem sido mesmo nada brilhante. São cada vez mais aqueles que se levantam contra um Montella a quem foi dada uma tarefa simplesmente demasiado exigente e que caiu na boca do lobo. De facto, a margem de erro do outrora grande goleador é cada vez mais reduzida. Não obstante, a história recente tem-nos mostrado que a chicotada psicológica poderá não ser o melhor caminho a seguir. Nesse sentido, afigura-se inteligente conceder ao atual técnico tempo para tentar impor as suas ideias – porventura, até ao final da temporada, já que esta se arrisca a ser um fracasso total, na medida em que o campeonato é, já, uma miragem e que a qualificação para a Champions também não parece provável, tendo em conta o momento de outros emblemas. No meio de tantos milhões saídos de Milão e de uma equipa ainda à procura de se encontrar, a questão permanece: Milan, dove sei?!

Estas foram algumas notas acerca do estado de coisas de Nápoles e Milan. Será interessante continuar a observar o percurso destes dois clubes históricos ao longo de uma temporada que promete surpreender.