Jonas Caça-Fantasmas rumo ao título!

Jonas Caça-Fantasmas rumo ao título!

29 Abril, 2017 Não Por Gonçalo Engenheiro

SL Benfica 2 x 1 Estoril Praia| 31.ª Jornada | Liga NOS

Perante um Estádio da Luz repleto de adeptos encarnados, o Benfica entrou em campo com 72 pontos e 3 de vantagem para o FC Porto. Pela frente tinha não só o 14.º classificado da Liga NOS, o Estoril-Praia, mas também um fantasma bem recente. É que na mente da família benfiquista ainda estava bem presente o empate 1-1 na temporada 2012-2013 que precipitou o desfecho trágico do campeonato que os encarnados acabaram por ver fugir das mãos para o FC Porto no Dragão com o célebre golo de Kelvin. Por isso mesmo, 4 anos depois, Rui Vitória não queria certamente ver essa história repetida.

O jogo andava em banho maria com muito domínio de jogo para o Benfica, mas poucas oportunidades reais de golo, quando Licá fez uma falta sobre Nélson Semedo perto da quina direita da grande área que o árbitro Hugo Miguel prontamente assinalou. Aos 29′, Jonas pegou na bola, foi devagar, devagarinho para perceber para qual lado Moreira se ia lançar e enganou mesmo o ex-Benfica. 1-0 para o Benfica. Jonas a marcar no regresso à equipa!

O Benfica foi à procura do segundo e este esteve bem perto. Salvio a bailar já na grande área junto à linha de fundo sobre Ailton, cruzamento tirado, Mitroglou cabeceiam, com a bola a desviar num defensor canarinho e a sobrar para a entrada de rompante de Cervi que, com o seu pior pé, o direito, atira com muita força para fora. E foi com o domínio dos encarnados que o jogo foi para intervalo. O Benfica teve muita bola, mas não marcou os golos que podia muito bem ter feito. O Estoril apresentava-se muito longe do nível que exibiu no 3-3 para a Taça de Portugal.

No recomeço do segundo tempo, o Estoril trouxe dos balneários muito mais audácia nas chuteiras. Várias oportunidades nos primeiros 5 minutos, com Kléber a falhar um lance em que surge desmarcado na cara de Éderson, mas o brasileiro esqueceu-se de  coser as abas ao chapéu que quis fazer ao compatriota. Um Kléber muito perdulário até ao minuto 59′ numa jogada muito semelhante deixou-se de rodriguinhos e atirou rasteiro e com força à saída de Éderson para o golo do empate. 1-1 e o fantasma de 2013 a voltar a escorrer suor frio pela espinha abaixo da família benfiquista.

Rui Vitória decidiu reagir de imediato ao contratempo colocando André Carrillo em campo para o lugar de Toto Salvio. E a equipa reagiu de pronto pelo suspeito do costume: Jonas. Aos 66′, o n.º10 encarnado veio sem oposição da esquerda para o meio, olhou a baliza, e encheu-se de fé para rematar bonito de fora da área e aliviar o coração dos seus adeptos. Belo golo do internacional brasileiro que ouviu uma enorme ovação quando foi substituído aos 77′ pelo reforço de inverno Filipe Augusto.

O Estoril tentou chegar novamente ao empate, com diversos livres perigosos ao minguar da partida para Matheus Oliveira, mas desta vez não conseguiram imitar o feito da Taça de Portugal. O Benfica só pôde mesmo respirar de alívio quando Hugo Miguel deu por terminado o encontro. Jonas, um dos melhores jogadores de sempre a pisar relvados lusitanos, foi o Caça-Fantasmas que o Benfica precisava para dar mais um “pasito” rumo ao título!