FC Porto 3×0 Rio Ave – Taça da Liga- O campeão de inverno encerra jogos no dragão com mais uma vitória (CRÓNICA)

FC Porto 3×0 Rio Ave – Taça da Liga- O campeão de inverno encerra jogos no dragão com mais uma vitória (CRÓNICA)

22 Dezembro, 2017 Não Por Simone Pinto

Os dragões desde cedo impuseram-se na partida e venceram o Rio Ave por 3-0.

O FC Porto recebeu esta noite, o Rio Ave para um jogo a contar para a Taça da Liga. Uma noite fria no dragão que contou com 7911 espetadores a assistir ao último jogo do ano no dragão.

Os azuis e brancos venceram o Rio Ave por 3-0 em encontro da segunda jornada do Grupo D da Taça da Liga. Depois do nulo caseiro com o Leixões, a equipa de Sérgio Conceição somou o primeiro triunfo e apanha a equipa de Matosinhos na liderança, com quatro pontos.

Os dragões queriam adiantar-se no marcador logo ao primeiro minuto de jogo. No entanto, na sequência de um cruzamento de Marega, com a baliza à mercê, Soares falha a emenda.

A falha de Soares não abalou os dragões, e o perigo continuava na baliza do Rio Ave.

Com apenas 11 minutos de jogo, o FC Porto abre o marcador. O golo surge na sequência de uma falha de Cássio na reposição de bola, Brahimi recupera à vontade e Herrera de calcanhar oferece o remate a Soares. Do falhanço ao golo, o avançado abre as hostilidades no dragão.

Os azuis e brancos cresciam na partida e mostravam vontade em aumentar a vantagem sobre a equipa de Vila do Conde. O dragão ainda não tinha recuperado o fôlego e Marega continuava a criar perigo na baliza do Rio Ave, mas Cássio estava atento.

O segundo golo dos dragões surgiu aos 21 minutos. O passe é de Brahimi, mas o golo é de Marega. O avançado adianta-se a toda a defesa, e desta vez, não deixa que Cássio tenha hipótese e atira certeiro. Estava feito o 2-0 para a equipa azul e branca.

A equipa de Vila do Conde não baixa os braços e tenta reduzir no dragão. Na sequência de uma falta sobre João Novais que resulta num livre perigoso junto à meia-lua, o médio atira forte, junto ao poste, Cassillas estava lá, mas nem foi preciso intervir.

O Rio Ave tentava sair em contra-ataque, mas sem sucesso. O FC Porto continuava forte e a querer dilatar ainda mais a vantagem. Aos 34 minutos, Soares quase bisava na partida, mas não chega ao passe de Corona.

Aos 35 minutos, o guarda-redes do Rio Ave, que já tinha recebido assistência médica, pede a substituição. A baliza da equipa de Vila do Conde estava agora entregue a Rui Vieira.

A entrada do guarda-redes do Rio Ave não foi a melhor, e o FC Porto esteve perto do golo. Rui Vieira erra numa reposição de bola, e coloca a bola em Marega. A defesa consegue resolver, mas a bola continuava a rondar a baliza, até sobrar para o remate de Herrera, que surgiu por cima.

O FC Porto mantinha a liderança no jogo. Já nos descontos da primeira parte, Marcão põe termo a uma jogada de Brahimi que correu até à área e tinha os companheiros a postos, à espera do passe para golo.

Intervalo no Dragão. Estavam jogados os primeiros 45 minutos da partida, onde houve mais Porto, muito Marega pelo meio e dois golos marcados.

A segunda parte começa da mesma forma que começou e acabou a primeira. O FC Porto continuava à procura de aumentar a vantagem. Brahimi, na linha de meio-campo, faz um grande passe para golo, mas Soares não consegue acertar o alvo.

A defesa Vila-condense mal tinha tempo para respirar. Ainda não tinham recuperado do arranque intenso dos dragões neste início da segunda parte, e Brahimi já estava na área à procura de mais um golo para a equipa da casa.

O Rio Ave tentava ainda assim, seguir em contra-ataque, no entanto a equipa Vila-condense não colocava grande perigo na área portista.

No entanto, a equipa de Vila do Conde mostrava-se mais forte, com mais segurança e firmeza para tentar reduzir no dragão. Aos 65 minutos, Francisco Geraldes passou por dois adversários e tentou o remate, mas a bola saiu por cima.

Aos 72 minutos, surge uma oportunidade para o Rio Ave reduzir. Um remate cruzado de Pelé, que rasou o poste de Casillas.

Os dragões deixaram a equipa Vila-condense crescer na partida, depois do arranque aceso da segunda parte, pareciam querer apenas segurar o resultado. No entanto, depois de alguns minutos mais “adormecidos” do FC Porto, Marega volta à partida e atira rasteiro, mas ao lado.

Aos 79 minutos, o Rio Ave continuava a tentar reduzir. Na sequência de um remate de Yuri Ribeiro, o guarda-redes portista segura, a dois tempos. Casillas não segura à primeira, mas, consegue evitar a recarga de Geraldes.

O Rio Ave mostrava-se mais forte nos contra-ataques, e para piorar, o jogador do FC Porto, Danilo Pereira, é expulso.

Últimos dez minutos da partida, e a equipa da casa é reduzida a dez jogadores. Uma segunda parte muito acidentada, e um FC Porto com menos qualidade, que baixou bastante a intensidade. Neste momento víamos um Rio Ave com uma maior capacidade de reação.

A cinco minutos do fim do tempo regulamentar, Nuno Santos remata forte para a defesa de Casillas com os punhos, e na recarga, Nadjack atira por cima.

Aos 90 minutos, surge uma grande penalidade a favor da equipa portista. Pelé faz falta sobre Aboubakar e para além da marcação de grande penalidade, o jogador do Rio Ave é expulso. Aboubakar atira sem hipótese para Rui Vieira, que até se atira para o lado certo, mas não consegue evitar o 3-0.

Um jogo que contou com uma lesão, duas expulsões, e uma grande penalidade. Os adeptos utilizam as luzes dos dos telemóveis para compor uma saudação com um belo efeito visual à equipa que reúne no relvado, num círculo que marca o ritual de união que encerra os jogos, na era de Sérgio Conceição.

O FC Porto soma agora em duas partidas disputadas 4 pontos. A etapa seguinte joga-se em Paços de Ferreira, dia 30.