E mais uma vez… o Real Madrid diz que não dá!

E mais uma vez… o Real Madrid diz que não dá!

22 Novembro, 2016 Não Por Gonçalo Engenheiro

Sporting CP 1 x 2 Real Madrid | 5.ª Jornada | Grupo F da Liga dos Campeões

“O mundo sabe que” este era o jogo de uma vida! Foi com o hino não-oficial do Sporting que Alvalade começou a estremecer na noite em que recebeu o menino mais bonito de todos os que de lá alguma vez saíram, Cristiano Ronaldo, quem mais? Aos 31 anos de idade regressou pela segunda vez à casa que o formou, mas agora com 1 Europeu, 2 Champions e 4 Bolas de Ouro a incharem ainda mais o peito já de si musculado.

E a música parece ter dado o mote para os primeiros minutos de jogo, pois logo aos 2 minutos, Adrien surgiu isolado à entrada da área madrilena, mas um corte polémico na hora H impediu o capitão do Sporting de seguir para a baliza. O Sporting apresentava-se mais uma vez forte nos instantes iniciais, tal como em Madrid, mas desta vez o Real já não foi apanhado desprevenido e conseguiu exercer o esperado domínio assim que o relógio virou para as duas dezenas de minutos. Até aqui Coates estivera em evidência com dois excelentes corte a impedir a bola de chegar a Ronaldo e o Sporting fizera aos 17 minutos um belo contra-ataque com Bas Dost a recuperar a bola em zona defensiva, mas depois já não teve pernas para chegar ao passe puxadinho de Gélson na área do Real Madrid.

O tal domínio madrileno acabou materializado aos 28 minutos quando Ronaldo fez uma habilidade que levou Rúben Semedo a travá-lo em falta na ala direita, mesmo juntinho à linha de área. No livre, o central francês Varane apanhou uma sobra para fuzilar a baliza sportinguista, num lance em que toda a gente ficou à espera do fora-de-jogo que as imagens televisivas confirmaram não ter existido.

Agora por baixo da partido, os Leões ainda tiveram uma enorme jogada de entendimento ofensivo, com Gélson a cruzar atrasado, Adrien a deixar passar e o Chuta-Chuta a rematar, mas Sérgio Ramos a dar o corpo à bala, impedindo que esta penetrasse a baliza espanhola.

Os jogadores acabaram por descer aos balneários com 0-1 e com eles levaram o perfume do bom futebol que abrilhantara a primeira parte. No segundo tempo, o jogo esteve em águas de bacalhau até que aos 64 minutos, numa jogada junto à linha de fundo madridista, Asensio faz falta sobre Joel Campbell e sururu instalado entre Kovacic e João Pereira dá expulsão errada ao jogador nascido no Casal Ventoso.

O Real Madrid optara por gerir os acontecimentos até que os 10 minutos finais trouxeram nova chama à partida. O recém-entrado Fábio Coentrão (a assobiadela da noite) esqueceu-se que já não era águia desde 2011 e com as asas abertas tocou uma bola na área em lance com Campbell. Desta vez, Adrien não falhou e fez o empate. Só que o desperdício leonino impediu a equipa de dar a merecida alegria a um Estádio José de Alvalade XXI que nunca estive tão cheio como hoje (50 046 espetadores) e foi mesmo o Real Madrid, hoje vestido do tradicional roxo merengue, a sair com a vitória por intermédio do francês Benzema em cabeceamento indefensável para o leão Patrício aos 87’.

E assim finalizou o encontro em que nem Gélson, “o príncipe”, a gazela na pele de leão, nem Ronaldo, “o rei”, o exterminador implacável das balizas adversárias, fizeram golos. Ao Sporting resta agora lutar pelo 3.º lugar em Varsóvia, depois de um jogo histórico em os Leões desperdiçaram demasiados lances de golo para poder alcançar a glória, lá bem no alto, onde mais uma vez brilharam cintilantes as estrelas da constelação galáctica do Real Madrid.

Sporting CP: Rui Patrício, João Pereira, Coates, Semedo, Zeegelaar, William, Gélson Martins, Adrien Silva, Bryan Ruiz (Schelotto 67’), Bruno César (Joel Campbell 62’) e Bas Dost (André 87′)

Real Madrid: Navas, Carvajal, Ramos, Varane, Marcelo (Fábio Coentrão 71’), Kovacic, Modric, Isco (Benzema 67’), Lucas Vazquez, Ronaldo e Bale (Asensio 58’).

Golos: Varane (0-1; 29’); Adrien Silva (1-1; 80’ P); Benzema (1-2; 87’)

Expulsões: João Pereira (64’)