Estás aqui!
Home > Benfica > De derrota em derrota até à vitória final

De derrota em derrota até à vitória final

A época do SL Benfica tem sido marcada por uma irregularidade nada comum no tetracampeão. Os fantasmas do início da época, de jogos como os 5×0 em Basileia, os 2×1 no Bessa ou o 2×1 frente ao CSKA de Moscovo, que já se julgavam mortos e enterrados, ressurgem ocasionalmente, lembrando que ainda existe muito a melhorar.  

Quando tudo parecia bem encaminhado, com três vitórias sucessivas no campeonato, perdeu-se 2×0 em Moscovo. Depois de um empate no Dragão e de uma goleada por 6×0 frente ao Vitória de Setúbal perdeu-se frente ao Rio Ave, o que implicou a eliminação da Taça de Portugal. E agora, depois de uma vitória em Tondela por 5×1, empatou-se em casa frente ao Portimonense para a Taça da Liga. Será que esta irregularidade exibicional persistirá até maio? 

O escândalo europeu foi atenuado com a ideia de que, agora, o SL Benfica se podia focar a 100% nas competições nacionais. A eliminação da Taça de Portugal foi atenuada com a ideia de que, para além do campeonato, existia sempre a Taça da Liga. E agora? Pois, agora a situação complica-se. Mesmo que o SL Benfica ainda não esteja arredado desta última competição, a permanência na mesma depende dos resultados de terceiros. As hipóteses são escassas. Nunca o tetracampeão ficou fora das competições europeias, Taça de Portugal e Taça da Liga antes do fim do ano civil. Este facto merece uma reflexão interna profunda que já deveria ter sido feita quando começou esta irregularidade exibicional.  

O empate frente ao Portimonense aconteceu num jogo em que o SL Benfica esteve a vencer por 2×0. A uma primeira parte bem conseguida, na qual o tetracampeão marcou o primeiro golo aos 50 segundos de jogo, seguiu-se um segundo tempo claramente negativo. A equipa da Luz não conseguiu, em momento algum, anular o Portimonense que, mesmo estando a jogar com muitos jogadores habitualmente suplentes, nunca deitou a toalha ao chão e conseguiu restabelecer a igualdade. Não existem desculpas. O que se passou neste jogo aconteceu muitas vezes esta época. Não se admite que, depois de tudo o que já ocorreu, o SL Benfica regresse do intervalo a pensar que o jogo está ganho e que nada mais precisa de fazer. Sempre que o faz, acaba por não vencer. Os resultados estão à vista.  

Em sentido contrário, quando o tetracampeão regressa do balneário disposto a lutar pelo resultado, a história é diferente. Foi isso que aconteceu em Tondela. Chegando ao intervalo a vencer por 3×0, o SL Benfica não deixou de procurar aumentar a vitória, acabando por vencer por 5×1. Foi a primeira vez em duas épocas que a equipa marcou mais de três golos fora de casa para o campeonato (o último jogo em que tal de se verificara ocorrera a 5 de fevereiro de 2016, quando o SL Benfica venceu o Belenenses, no Restelo, por 5×0).  

Da mesma forma que, ao vencer por 5×1 em Tondela, o SL Benfica não tinha resolvido todos os problemas internos, também não é o 2×2 frente ao Portimonense que faz com que esteja tudo mal no tetracampeão. Esta época tem tido aspetos positivos e negativos. Efetivamente, os comandados por Rui Vitória estão a apenas três pontos da liderança do campeonato. Portanto, ainda nada está perdido.  

A Taça da Liga ainda não está abandonada, mesmo que, como já se disse, seja difícil o apuramento do SL Benfica para a “final four“. Deixando de parte essa competição, há que olhar para o campeonato, tendo em conta que o maior objetivo da época (e aquele que terá de ser cumprido para que se consiga atenuar o incumprimento de todos os outros) é a conquista do pentacampeonato. 

Já se está fora da Europa e da Taça de Portugal. A Taça da Liga está por um fio. Na liga, o SL Benfica receberá na próxima jornada o Sporting CP. Não se pode ficar mais longe da luta pela liderança. Desta forma, uma vitória frente aos leões é imperativa e exige-se para enterrar de vez estes fantasmas que persistem em ressuscitar.  

Deixe uma resposta

Top