Estás aqui!
Home > Benfica > Clássico empatado e um Marega desinspirado

Clássico empatado e um Marega desinspirado

Após uma primeira parte relativamente equilibrada, o FC Porto mostrou, no segundo tempo, porque é o principal candidato ao título (a par do Sporting), pese embora tenha empatado com o rival, Benfica, em casa, num clássico sem golos.

Marega foi figura em destaque, baralhando completamente os defesas das águias, graças à sua força, velocidade e faro de golo. Porém, o avançado dos dragões desperdiçou demasiadas oportunidades para dar a vitória à sua equipa.

O técnico das águias, Rui Vitória tinha avisado que ia jogar para ganhar. O Benfica entrou forte e, logo nos primeiros minutos, beneficiou de clara ocasião de golo, num lance em que José Sá falhou uma primeira saída a um cruzamento da direita, permitindo a Jonas uma recarga de cabeça, que o próprio guarda-redes defendeu.

Porém, o domínio das águias foi sol de pouca dura. À passagem do quinto minuto, Marega isolou-se em contra-ataque e, não fosse o poderio físico de André Almeida, o avançado do Porto – ainda mais possante – teria se isolado.

Assim, o jogo ganhou um novo equilíbrio. O Porto passou a apostar na velocidade dos seus avançados, lançados por Herrera e Sérgio Oliveira, enquanto o Benfica optava por ataques continuados. Sem grande dinâmica,  Krovinovic veio, mesmo assim, trazer nova vida ao meio-campo das águias, que este ano tem estado bastante aquém das expectativas.

Por volta dos 30 minutos do encontro, Marega isolou-se novamente nas costas da defensiva adversária – desta vez foi Jardel que foi ultrapassado em velocidade – havendo posterior corte do defesa das águias, mas também contacto entre os dois. Este foi o primeiro lance passível de dúvida.

Em cima do intervalo, veio o segundo. Em lance aparentemente inofensivo dentro da área dos encarnados, Luisão deu-se ao luxo de tentar cortar a bola com o peito, mas esta bateu-lhe no braço. Não sendo intencional, cortou a jogada, dando-se o benefício da dúvida ao árbitro que, desta vez, até consultou o VAR.

O início do segundo tempo foi claramente dos azuis e brancos. A jogar em casa e motivados pelo público, subiram as linhas, apertaram a defensiva do adversário que, sem ter muito qualidade a sair, sentiu-se pressionado e perdeu várias bolas.

Nesta altura, aos 57′, o avançado do FC Porto, Aboubakar (pouco em jogo) inseriu a bola dentro da baliza do adversário, mas o árbitro já tinha assinalado um fora-de-jogo inexistente. No minuto seguinte, o suspeito do costume, Marega, aproveitou um corte falhado de Grimaldo para se isolar, mas falhar o golo. Passados uns minutos, aos 62′, Otávio, acabado de entrar, caí na área do Benfica, sem que, desta vez, tenha parecido falta.

Por volta do minuto 70, uma confusão na área só não deu golo, porque Bruno Varela, que havia defendido mal à primeira, evitou a recarga do lateral direito do FC Porto, Ricardo Pereira – um dos melhores elementos em campo.

O Benfica recuou, fez entrar Samaris e conseguiu diminuir o perigo para a sua baliza mas, ao optar por esta solução, entregou o jogo de mão beijada aos dragões, que mesmo não tendo vencido, foram os únicos que, no segundo período, quiseram ganhar.

Aos 82 minutos, Zivkovic, que entrara minutos antes, levou o segundo amarelo, prejudicando ainda mais a tarefa das águias.

Porém, os encarnados ainda tiveram uma chance, com Krovinovic a aparecer isolado na cara de José Sá, que mostrou novamente porque relegou Casillas para o banco dos suplentes. No lance seguinte, após cruzamento do lado esquerdo, Marega (quem mais?!) apareceu isolado na cara de Bruno Varela, falhando o desvio.

Em cima do fim do jogo, o médio ofensivo dos dragões, Otávio, um dos mais irreverentes, recuperou a bola na direita e cruzou para o centro da área encarnada, onde Marega falhou mais uma vez.

Não pondo em causa a justiça do resultado, a haver vencedor teria de ser o FC Porto, claramente uns furos acima do rival, que colheu o menor de dois males. Com este resultado, dragões e leões (que havia vencido o Belenenses anteriormente) estão na liderança com 33 pontos, enquanto o Benfica está logo atrás com 30.

 

Deixe uma resposta

Top